Bahia

João Leão: Wagner é nosso cacique, mas precisa dar vez aos aliados

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O vice-governador e presidente estadual do PP, João Leão, afirmou nesta quarta-feira (9) que a pré-candidatura do senador Jaques Wagner (PT) não deve ser uma condição imposta aos demais partidos da coalizão do governo Rui Costa. Ao Metro1, Leão defendeu que este nome seja escolhido com consenso.

“Vamos sentar e vamos ver quem é que vai representar o grupo. Não pode dizer que ‘é Jaques Wagner e acabou’. Não é nesse sentido”, disse o vice-governador.

“Jaques Wagner é o nosso cacique. Mas ele tem que entender que, pra ser cacique, você tem que dar vez aos seus liderados”, acrescentou Leão, que foi elogiado pelo próprio Wagner durante entrevista do senador à Rádio Metrópole.

Questionado por Mário Kértesz sobre a eleição estadual em 2022, o petista citou o senador Otto Alencar, a deputada federal Lídice da Mata (PSB), o deputado federal Marcelo Nilo (PSB) e o próprio Leão (PP) entre aliados credenciados a disputar o pleito. Apesar do afago, o ex-governador já confirmou estar “colocado” no páreo.

“Ele [Jaques Wagner] está muito gentil. Ele começa a ter realmente postura de futuro candidato. Eu posso apoiar, Lídice, [senador Angelo Coronel, do PSD], Marcel Nilo, Chico ou Francisco. Minha luta é seguinte: o grupo não pode ser desunido. Temos que reunir cada vez mais o grupo”, respondeu o vice-governador.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comentários