Remanso

Deputado Zó denuncia paralisação da Operação Carro-Pipa

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Preocupado com a falta de recursos para o Programa Emergencial de Distribuição de Água, conhecido como Operação Carro-pipa, que já tem sido paralisado em algumas cidades da Bahia e de todo o Nordeste, o deputado estadual Zó denuncia à população e pede apoio de parlamentares no sentido de sensibilizar o Ministério da Economia para que insira este benefício no orçamento da União, pois gera emprego para pipeiros e sacia a sede das comunidades rurais que ainda tem dificuldade no acesso a água potável.

A Operação é comandada pelo Ministério da Defesa em conjunto com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), mas a liberação de recursos fica a cargo do Ministério da Economia. De acordo com o Comando Militar do Nordeste, “4.100 pipeiros participam da distribuição de água nos 40.098 pontos de abastecimento e, atualmente, cerca de 35% dos pipeiros estão com a distribuição interrompida temporariamente”.

Para o deputado Zó, o momento é de urgência e as pessoas estão preocupadas com a iminência do fim do Programa. “Todas as comunidades rurais da Bahia podem ficar sem a Operação Pipa. Somente no Território do São Francisco, que estão os municípios de Juazeiro, Casa Nova, Curacá, Remanso, Sento Sé, Canudos, Uauá, Campo Alegre de Lourdes e Pilão Arcado, são quase 2 mil comunidades que ficarão sem acesso a água. Isso é uma desumanidade”, desabafa.

O deputado tem buscado apoio para que esta decisão do Governo Federal seja revertida. “Já acionamos o deputado federal Daniel Almeida para levar esta pauta para o Congresso. Estou entrando com um requerimento na presidência da Assembleia Legislativa para montarmos uma comissão e buscarmos apoio das demais Assembleias dos estados do Nordeste, junto com a bancada federal do Nordeste, para que possamos sensibilizar o Ministério da Economia e que assim os recursos sejam liberados. O povo não pode ficar sem água. Ninguém vive sem água. Esperamos que o governo federal atenda ao nosso pedido”, declarou o parlamentar.

No início da semana passada, a pasta comandada pelo ministro Paulo Guedes (Economia) liberou por meio de crédito extraordinário o valor de R$ 450 milhões para o MDR. O recurso, no entanto, foi enviado para apenas ações de resposta emergencial e não para a Operação carro-pipa. “É impressionante como o governo federal não trata esta situação como emergencial. Eles não conhecem a realidade. Não conhecem o Brasil e as necessidades de quem vive no sertão. Aí não investem nem em adutoras, nem mandam os recursos para a Operação Pipa. É preciso mais sensibilidade com os sertanejos. É preciso mais humanidade por parte do Governo Federal”, finalizou o deputado Zó.

De acordo com o trabalhador Maurílio Lima, que tem um caminhão-pipa credenciado no Programa, somente em Uauá são 100 pipeiros cadastrados, no município de Andorinha são 46. “Para se ter uma ideia, em Andorinha são 250 comunidades atendidas, o que dá cerca de 20 mil pessoas que dependem desta água. Ou seja, são famílias que que estão sem o salário do caminhão-pipa e sem água para sobreviver”, lamenta.

Ascom


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comentários