Remanso

Remanso entre a irresponsabilidade do Bolsonaro e a falta de empenho da Gestão Municipal

Ontem tomei conhecimento das medidas do governo municipal, seguindo devidamente as orientações internacionais e de especialistas acerca das principais medidas para conter a expansão do número de infectados pelo covid-19.

No que tange às medidas para reter aglomerações, está tudo em conformidade. No mais, queria atenuar para o fato que não para só por aí. No que concerne ao âmbito municipal, é preciso garantir as mínimas condições para que sua população permaneça em casa.

Ao prefeito e ao Secretário de Saúde, providencie imediatamente:

  1. O pagamento devido a todos os trabalhadores: contratados e concursados, inclusive quitando os atrasos para que essas famílias garantam sua renda básica;
  2. Distribuir cestas básicas nas comunidades mais carentes, garantindo kits de higiene;
  3. Suspenda o pagamento de água por três meses para as famílias carentes e trabalhadores informais;
  4. Reforçar a limpeza das ruas da cidade, garantindo todas as condições com EPIs aos trabalhadores da limpeza;
  5. Redução emergencial em 30% do salário de secretários, vereadores e do próprio prefeito, uma vez que, é totalmente incompatível com a renda média da maioria da população e façam esse esforço pelo povo;
  6. Crie um fundo emergencial para a cidade, que pode ser iniciado com essa medida de redução de salário e com doações;
  7. Se prontifique para receber pacientes e trabalhadores da saúde para isolamento caso seja comprovado da covid-19 com todas as condições sanitárias. Temos os exemplos do uso de hotéis pelo governador do RJ, Wilson Witzel;
  8. Cobre nas devidas instâncias recursos para compor esse fundo para garantir as condições para nossa cidade combater o covid-19;
  9. Crie um canal nas redes sociais para orientar nossa população, divulgue amplamente;
  10. Uso de um espaço para acolhimento para moradores de rua, para que tenham acesso a banho, produtos de higiene e alimentação.

Ontem o presidente foi à rede nacional fazer um pronunciamento criminoso, passando por cima de todas as orientações internacionais, inclusive do próprio Ministério da Saúde. Com isso, coloca em risco milhares de vidas, não só dos idosos, vale lembrar.

O Governo Federal segue sem oferecer a nossa população as mínimas condições de renda para que faça o isolamento social. De forma sorrateira, o Bolsonaro/Guedes injetam 1,2 trilhão para salvar bancos e especuladores. Para salvar e garantir renda mínima aos trabalhadores em vulnerabilidade, destina irrisoriamente 15 bilhões. Com essa política, o governo espera cobrir 20 milhões de brasileiros com absurdos 200 reais. Não cobre nem uma cesta básica.

O Bolsonaro deixa claro que a vida da nossa população está em segundo plano. O presidente segue a agenda da classe dominante, sendo para esta a prioridade garantir suas taxas de lucro em detrimento da vida.

Não venceremos o coronavírus com o Bolsonaro à frente do país. É preciso derrotar ele e o que ele representa: a extrema-direita e neofascismo!

No município, as ações seguem aquém das necessidades da nossa população, a gestão continua sem oferecer as condições mínimas para ao menos amenizar os impactos na nossa população, sobretudo a mais carente.

Temos uma certeza: se continuar dessa forma, não só o Bolsonaro precisará ser derrotado.

Matheus Rodrigues

Graduando em Ciências Sociais na Universidade Federal do Vale do São Francisco

Comentários

Leave a Response