Remanso

Remanso: entre a incerteza e o colapso

Artigo escrito por Matheus Rodrigues, graduando em Ciências Sociais na Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Queria iniciar esse texto dizendo para as pessoas não entrarem em pânico, que vai ficar tudo bem. Infelizmente, palavras que consolam não estão na ordem do dia.

Me proponho aqui, portanto, suscitar um debate e tentar entender os impactos na nossa cidade. No mundo inteiro o abalo é grandioso, a recessão econômica é certa, em conformidade com a diminuição da produção industrial e de serviços.

No Brasil, a situação não será diferente. Pior, os impactos da crise se intensifica por ser uma economia subdesenvolvida, a queda da produção econômica será desastrosa. Tendo em vista o cenário mundial, não se isola diante de uma economia globalizada.

A situação piora quando no mais alto cargo do Brasil a principal preocupação do presidente é com “economia” e não com a vida de milhões de brasileiros. Quando ele diz economia, na verdade a principal preocupação é garantir os lucros dos bancos.

Não há atalhos para sair da crise. Especialistas do mundo inteiro orientam a quarentena em isolamento como a melhor alternativa visto à proliferação do vírus covid-19 a fim de reduzir o número de infectados e as suas complicações que necessitam equipamentos de respiração.

Pois bem. Sabemos que nossa economia é pouco diversificada e não temos estrutura hospitalar para atender casos graves, que serão atendidos só em Salvador. Garantir a quarentena plena de todas as pessoas na nossa cidade é crucial para inibir qualquer proliferação na cidade.

Na sexta feira, mesmo com as recomendações do distanciamento social, o Mercado Municipal estava funcionando normalmente, com uma grande quantidade de pessoas circulando. É alarmante. Mas o que farão aquelas pessoas sem trabalho? Ora, vão passar fome.

Nesse sentido, podemos visualizar a importância de garantir uma renda básica (um salário mínimo), além da suspensão do pagamento de energia, água e telefonia/internet. Agregando a isso, kits básicos de higiene são fundamentais. A experiência da China e da Venezuela ficam como exemplos a serem seguidos.

Dentro dessas condições elencadas anteriormente, podemos vislumbrar a quarentena de toda população e reduzir os impactos do covid-19. Num cenário completamente longe do ideal, as condições e os impactos podem ser catastróficos.

Nossa economia colapsará, milhares de pessoas que vivem do setor de serviços e na informalidade passarão fome. As unidades de saúde não tem suporte, as ações da atual gestão municipal ficam aquém dessa demanda. O mundo não aguenta o coronavírus, Remanso colapsará.

Centenas de pessoas que trabalham no comércio vão ficar desempregas sem nenhuma contrapartida. A atual gestão municipal precisa denunciar o descaso. Nosso povo vai morrer. As políticas da presidência não dará conta, é preciso elevar o tom e procurar despertar na nossa população a indignação necessária para reverter esse cenário.

Nosso povo merece muito mais.

 

Matheus Rodrigues   

Graduando em Ciências Sociais na Universidade Federal do Vale do São Francisco

Comentários

Leave a Response