Economia

Petrobras corta os investimentos em US$ 90 bi até 2019

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A sede da Petrobras - Carlos Ivan / Carlos Ivan Leia mais sobre esse assunto em https://oglobo.globo.com/economia/petroleo-e-energia/petrobras-anuncia-corte-de-37-nos-investimentos-de-2015-2019-plano-preve-us-1303-bilhoes-16590614#ixzz3eSXHqmzB © 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
A sede da Petrobras – Carlos Ivan / Carlos Ivan
Leia mais sobre esse assunto em https://oglobo.globo.com/economia/petroleo-e-energia/petrobras-anuncia-corte-de-37-nos-investimentos-de-2015-2019-plano-preve-us-1303-bilhoes-16590614#ixzz3eSXHqmzB
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
A Petrobras enviou na manhã desta segunda-feira fato relevante contendo o plano de negócios para o período de 2015 a 2019 à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). No documento a empresa informa que vai investir no período US$ 130,3 bilhões, uma redução de 37% em comparação ao plano anterior. É o menor nível atingido pela empresa desde 2008. São US$ 90,3 bilhões a menos que no plano anterior, de 2014-2018, que previa investimentos de US$ 220,6 bilhões.

A estatal informa ainda que espera vender mais ativos que o planejado inicialmente e que reduziu suas metas de produção. O montante de desinvestimentos em 2015-2016 foi revisado para US$ 15,1 bilhões (sendo 30% na Exploração e Produção, 30% no Abastecimento e 40% no Gás e Energia). A previsão anterior era vender US$ 13 bilhões. A estatal prevê ainda “desinvestimentos adicionais”, totalizando US$ 42,6 bilhões em 2017-2018.

A companhia informou que espera alcançar uma produção total de óleo e gás (Brasil e internacional) de 3,7 milhões de barris de óleo equivalente em 2020. O número é 30,2% menor que os 5,3 milhões previstos antes.

Só no Brasil, a produção de petróleo e gás natural sofrerá uma forte redução nos próximos anos em relação ao plano anterior. Para 2020 a produção prevista agora é de 2,8 milhões de barris diários, contra 4,2 milhões previstos anteriormente — uma queda de 33,3%. Já para este ano a produção ficará em 2,1 milhões de barris por dia contra os 2,4 milhões de barris previstos anteriormente.

A Petrobras destaca que seu plano de negócios para os próximos cinco anos tem o objetivo principal de reduzir o elevado nível de endividamento da companhia. O plano prevê o retorno da alavancagem às seguintes metas: alavancagem líquida inferior a 40% até 2018 e a 35% até 2020, e endividamento líquido/Ebitda inferior a 3,0x até 2018 e a 2,5x até 2020.

Dos US$ 130,3 bilhões que serão investidos de 2015 a 2019, 83%, ou seja, US$ 108,6 bilhões serão aplicados nas áreas de Exploração e Produção, incluindo nesse valor US$ 4,9 bilhões em negócios no exterior.

A área de Abastecimento, que foi um dos maiores focos do caso de corrupção revelados pela Operação Lava-Jato da Polícia Federal, receberá apenas US$ 12,8 bilhões, 10% do total. Está incluída nesses investimentos a alocação de recursos para a área de distribuição. O setor de Gás e Energia terá um total de US$ 6,3 bilhões, 5% do total. Outras áreas ficarão com US$ 2,6 bilhões, 2% dos investimentos totais.

As premissas usadas pela Petrobras para a elaboração do Plano de Negócios foram: preços dos derivados no Brasil com paridade de importação; preço do Brent (médio) a US$ 60/bbl em 2015 e US$ 70/bbl no período 2016-2019; taxa de câmbio (média a US# 3,10 neste ano, US$ 3,20 em 2016, US$ 3,29 entre os anos 2017 a 2019, e US$ 3,56 em 2020.

Fonte: O Globo


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comentários