UFC

Chael Sonnen anuncia aposentadoria do MMA; Belfort não luta no UFC 175

Lutador americano faz anúncio em telejornal do UFC e encerra carreira aos 37 anos de idade. Brasileiro é retirado do card por falta de adversário

Um dia após ser flagrado com duas substâncias proibidas em seu organismo num exame antidoping surpresa, o lutador americano Chael Sonnen anunciou oficialmente que está se aposentando do MMA. Sonnen fez o anúncio na abertura do “UFC Tonight”, telejornal oficial do Ultimate nos EUA, do qual é um dos apresentadores, nesta quarta-feira. Além disso, o programa revelou que Vitor Belfort, adversário de Sonnen no UFC 175, foi retirado do card do dia 5 de julho, porque o UFC não conseguiu encontrar um substituto para o americano.

– Quero tomar esta oportunidade para anunciar oficialmente minha aposentadoria das artes marciais mistas competitivas. Eu me diverti muito. Quero agradecer Roy Pittman. Quero agradecer Dave Sandal. Quero agradecer meu técnico Clayton Hires. Esses caras me ensinaram a perseverar, e ficaram comigo nos tempos difíceis – disse Sonnen.

Chael Sonnen anunciou sua aposentadoria do MMA aos 37 anos de idade (Foto: Evelyn Rodrigues)
Chael Sonnen anunciou sua aposentadoria do MMA aos 37 anos de idade (Foto: Evelyn Rodrigues)

Chael Sonnen voltou a falar sobre o resultado positivo para anastrozol e clomifeno no exame surpresa feito pela Comissão Atlética do Estado de Nevada (NSAC), e explicou que as drogas, medicamentos bloqueadores de estrogênio, foram receitadas por seus médicos para estimular a produção natural de testosterona – ele sofre de hipogonadismo (deficiência na produção de testosterona). O lutador confirmou que o tratamento funcionou e que sua esposa está grávida do primeiro filho do casal. Todavia, ambas as substâncias são proibidas pela Agência Mundial Antidoping (Wada) e pela NSAC, e Sonnen, que alegou “confusão com as regras” na terça-feira, admitiu nesta quarta que deveria ter comunicado a entidade que estava fazendo uso dos medicamentos.

Chael Sonnen se aposenta aos 37 anos de idade, com um cartel oficial de 28 vitórias, 14 derrotas e um empate, incluindo sete vitórias e sete derrotas no UFC. Oriundo da luta greco-romana, disciplina na qual foi vice-campeão mundial em 2000, o lutador de West Lynn, Oregon (EUA), ganhou fama quando desceu aos pesos-médios, venceu três lutas seguidas dentro do Ultimate e passou a fazer campanha por um combate contra Anderson Silva pelo cinturão da categoria. Suas entrevistas, repletas de provocações ao lutador brasileiro e à sua família, amigos e país, ajudaram a atrair atenção para a luta, e sua atuação no primeiro confronto entre os dois, em 7 de agosto de 2010, lhe elevou à condição de um dos favoritos dos fãs do UFC. Na ocasião, Sonnen dominou o até então inatingível “Spider” por quatro rounds e meio, mas foi finalizado com um triângulo aos 3m10s do último round, a menos de dois minutos do fim.

Após a luta, Sonnen teria seu primeiro exame antidoping positivo, para níveis elevados de testosterona. O lutador alegou na época que estava fazendo terapia de reposição de testosterona (TRT) para tratar seu hipogonadismo, e que teria comunicado a Comissão Atlética do Estado da Califórnia, responsável pela regulamentação do combate. Mesmo assim, foi multado e suspenso até o final da validade de sua licença de lutador no estado, em junho de 2011. O “Gângster Americano” voltaria ao octógono em outubro daquele ano e, com duas vitórias seguidas, conquistaria uma segunda chance contra o brasileiro, no UFC 148, em 7 de julho de 2012. Desta vez, porém, foi nocauteado no segundo round. Ao anunciar a aposentadoria, Sonnen agradeceu a Anderson Silva pelas oportunidades.

– Também quero agradecer o oponente mais importante que já tive. Eu não poderia ter chegado aqui sem este parceiro de dança, e é você, Anderson Silva. Obrigado pela oportunidade. Obrigado pelas memórias. Obrigado pelo convite para o churrasco, embora eu não tenha cobrado – declarou o lutador.

Depois da segunda derrota para Anderson, Chael Sonnen surpreendeu ao subir para a categoria de cima, peso-meio-pesado (até 93kg) e receber uma disputa de cinturão imediata contra Jon Jones. Ele aceitou substituir seu companheiro de equipe Dan Henderson, lesionado, com cerca de uma semana de antecedência para o UFC 151, em setembro de 2012. Jones, porém, se recusou a enfrentar Sonnen com pouco tempo de preparação, e o evento foi cancelado. Alguns meses depois, o campeão acabou concordando em encarar o “falastrão” ao final da 17ª temporada do reality show “The Ultimate Fighter”, em que ambos atuariam como treinadores. Em abril de 2013, a luta aconteceu e Jones nocauteou Sonnen no primeiro round.

Fonte: Combate

Comentários

Leave a Response