Saúde

Cinco dicas naturais para melhorar sua vida sexual

Com o passar do tempo, especialmente em relacionamentos mais longos, é comum que a vida sexual do casal perca um pouco do fôlego que tinha no início, e ainda que isso seja normal e até esperado, a boa notícia é que é possível melhorar a situação de um jeito mais natural.

Com algumas mudanças simples em seus hábitos alimentares, assim como com a prática de atividades físicas e o monitoramento de alguns itens da sua saúde, é possível melhorar bastante essa questão antes de recorrer a medicamentos e outros tratamentos mais sérios.

É importante pensarmos em nossa vida sexual com a devida atenção para garantir um relacionamento mais pleno e realizado, assim como é fundamental não acreditarmos que a falta de apetite sexual é algo comum, que é o esperado com o passar do tempo – na verdade, pessoas saudáveis podem fazer sexo normalmente ao longo de toda a vida adulta, e isso inclui a terceira idade.

Os métodos que você vai conhecer a seguir fazem parte de um relatório especial da Universidade de Harvard, dedicado apenas a problemas sexuais, especialmente os relacionados à disfunção erétil. São dicas simples que, além de melhorar a vida sexual do casal, farão bem à sua saúde como um todo, ou seja, não tem motivos para não tentar! Confira:

1. Que tal fazer caminhadas diárias?

Só para você ter ideia, uma rotina de apenas 30 minutos de caminhada por dia é capaz de reduzir os riscos de disfunção erétil em até 41%. Outro estudo realizado pela mesma instituição nos mostrou que exercícios moderados ajudam a melhorar o desempenho sexual especialmente dos homens de meia idade e que são obesos.

2. Comer direito é fundamental

Não há como negar: uma alimentação saudável e equilibrada é a chave para uma vida melhor em diversos aspectos. Quando pensamos em saúde sexual, o ideal é investir em uma dieta rica em frutas, vegetais, grãos e peixes. O consumo desses itens e a diminuição de carne vermelha, de produtos processados e de grãos refinados é uma ótima maneira de ajudar seu corpo a mandar bem entre quatro paredes.

Em termos de dieta, sabemos também que deficiência da vitamina B12 é algo que dificulta a ereção, então é sempre bom ficar de olhos abertos e investir em alimentos como amêndoas, salmão, truta, carne bovina, cereais e iogurte. Para saber como seu corpo tem absorvido essa vitamina, você pode procurar ajuda médica e solicitar exames.

Outra vitamina fundamental é a D, encontrada no leite, iogurte, queijo e atum enlatado. Já é comprovado que homens com deficiência de vitamina D têm um risco 30% mais alto de desenvolver disfunção erétil. Vale lembrar que tomar Sol todos os dias, por alguns minutos, é algo que ajuda seu corpo a absorver essa vitamina.

3. Acompanhe e cuide da sua saúde

Infelizmente, a obesidade está relacionada com o aumento de doenças cardíacas e com casos de diabetes, sendo são capazes de provocar baixa libido e disfunção erétil. Por exemplo, um homem com uma cintura de 107 cm tem 50% a mais de chances de ter disfunção erétil quando comparado com um homem que tem uma cintura de 81 cm. Então, é importante manter uma alimentação saudável e fazer acompanhamentos médicos periódicos para avaliar sua saúde.

4. Dê atenção à sua saúde vascular

Se o seu hemograma revela altos índices de açúcar no sangue, de colesterol ruim (LDL) e de triglicerídeos, está na hora de cuidar melhor de você! O mesmo vale para quem é hipertenso.

Regular esses índices é algo que melhora a saúde do coração, do cérebro e, no caso dos homens, do pênis. Em alguns casos, quando apenas a mudança alimentar e a prática de exercícios não resolve, é preciso realizar tratamento medicamentoso. Independente de qual for a sua situação, é preciso seguir a recomendação médica com cautela.

5. Vá ao dentista

Olha só que inesperado: sabia que existe uma relação entre o aparecimento de gengivite e disfunção erétil? Pois é. Isso foi descoberto em um estudo de 2013, divulgado pelo Journal of Sexual Medicine. A relação entre uma coisa e outra está no fato de que a gengivite causa inflamação crônica, e isso danifica as células que arredondam os vasos sanguíneos, inclusive os da região pélvica.

Depois de seguir as dicas acima, é difícil não sentir uma grande melhora em sua saúde de maneira geral e, inclusive, em sua vida sexual. Não custa tentar, não é mesmo?

Siga-nos no Facebook

Publicidade